Guardiãs do saber

Conhecimento foi feito para ser partilhado e bibliotecas são verdadeiras guardiãs do saber. A existência delas transforma a comunidade, passando histórias e pensamentos que estimulam o repertório cultural.  Imagine o potencial que há em uma biblioteca comunitária, feita por e para a comunidade? 

Considerando a queda nas estatísticas que mensuram a porcentagem de leitores no Brasil, é preciso defender a proliferação de bibliotecas pelo país a fim de transformar a leitura num hábito nacional.  Entre 2015 e 2019, por exemplo, o Brasil perdeu 4,6 milhões de leitores, de acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. Só um esforço coletivo pode mudar esses dados e as bibliotecas têm papel fundamental nisso.

Que tal construir na sua escola, com seus vizinhos, ou seu clube de amigos um espaço de leitura gratuito e comunitário? Confira algumas dicas para formar uma biblioteca comunitária e ser referência em leitura e relevância social na cidade.

1. Do que sua comunidade precisa?

Claro que precisamos partir de uma quantidade considerável de livros para que um espaço seja nomeado como biblioteca. No entanto, além da quantidade, atente-se à qualidade. Faça uma curadoria de títulos que realmente tenham a ver com as necessidades de sua comunidade. Considere as categorias de classe, raça e gênero das pessoas que formam a comunidade e  monte um acervo que se adeque e agregue ao perfil delas. Uma biblioteca comunitária precisa olhar com atenção e carinho para a própria comunidade em que está inserida. 

2. Crie um programa de doações

Promova movimentos de doações de livros para fazer parte da biblioteca. Muitas pessoas têm livros que podem doar em casa. Outros, podem contribuir com dinheiro para comprar aquela lista de títulos que você já selecionou (no item anterior) como interessantes para o grupo que terá acesso ao material. Peça diretamente às pessoas, faça campanhas nas redes sociais, convença todos que estão em seu entorno a contribuírem na arrecadação de material.

3. Faça eventos

Chame a comunidade para eventos como rodas de leitura, palestras, oficinas, saraus, festivais, atividades que engajem as pessoas no espaço e na comunidade da biblioteca. Transforme o local em um espaço afetivo.

4. Divulgue

A biblioteca, no contexto da contemporaneidade, precisa considerar o digital e interagir com ele. Use as redes sociais para divulgar os eventos, os livros e tudo que envolve esse espaço tão querido e especial para a comunidade. 

E aí, animado para iniciar um projeto especial como este? Pode ser uma atividade bastante gratificante e algo para unir muitos ao redor de um projeto. Se você aplicar nossas dicas, não esqueça de nos dar retorno sobre sua biblioteca comunitária e as histórias nascidas ali.

Veja também:

Ensino Bilíngue

As professoras Janice Ricciardi e Lilian Cardoso apresentam o Ensino Bilíngue da Rede Adventista e sua relevância para o desenvolvimento cognitivo e emocional dos alunos.

Leia mais